Weby shortcut
Ufg logo
Youtubeplay
Folião

O vasto mundo dos foliões

Projeto de extensão da UFG identificou 40 toadas diferentes, 12 delas de autor conhecido e atuante nos festejos de Santos Reis de Goiás

folia

 

Patrícia da Veiga

Localizado a 35 quilômetros de Goiânia, o município de Inhumas, com pouco mais de 56 mil habitantes, possui inúmeros grupos de Folia de Reis – tantos, que mapeá-los é tarefa para uma longa convivência. São em maioria companhias urbanas, mas circulam pelo campo, pelas estradas e em municípios vizinhos como Damolândia e Itauçu. Fazem seus giros durante vários meses do ano e não somente no intervalo entre o Natal (25/12) e o dia de Santos Reis (6/1), como de costume. São grupos marcados pela complexidade e pela diversidade. Nos cortejos que fazem, usam um vasto repertório, muitas vezes de autoria própria. Para identificar e preservar a obra presente nessa manifestação da cultura coletiva, pesquisadores da Universidade Federal de Goiás (UFG), da Universidade de Brasília (UnB) e da Faculdade Sul-Americana (FASAM), juntamente com a Cia de Santos Reis de Inhumas, produziram a coletânea “Toadas de Santos Reis em Inhumas, Goiás: tradição, circulação e criação individual” (Goiânia: Gráfica UFG, 2015).

 

O material, lançado em fevereiro deste ano, é composto por um livro e dois CDs que reúnem 40 toadas identificadas nas Folias. No primeiro disco, é possível acompanhar todo o ritual cantado, da retirada da bandeira da casa do embaixador até os agradecimentos finais na residência do anfitrião. Já o segundo CD reúne 26 faixas com trechos de músicas costumeiramente tocadas nas festas. O livro, por sua vez, traz partituras das músicas, uma descrição detalhada de como atuam os foliões, além de reflexões sobre autoria e transmissão de saberes no processo de organização e realização dos cortejos.

 

O trabalho foi organizado pelo professor da Faculdade de Ciências Sociais (FCS), Sebastião Rios e pela doutoranda em Antropologia da UnB, Talita Viana. Sebastião é violeiro e acompanha os grupos de Inhumas desde 2006. Talita está na região desde 2009 e há seis anos atua como caixeira nos grupos. Motivada pela vontade de compreender os fundamentos das Folias, a dupla produziu os projetos “Livro e CD da Cia de Santos Reis de Inhumas – Goiás”, contemplado pelo Fundo Cultural da Secretaria de Cultura do Estado de Goiás (Secult) em 2013, e “Uso comercial de expressões culturais tradicionais”, contemplado pelo Programa de Extensão Universitária (Proext/MEC) em 2014. Ambos culminaram nessa coletânea, que recebeu contribuições de estudantes de graduação em Direito e Ciências Sociais, e contou com imagens de Rogério Neves, professor de fotografia e produção audiovisual na FASAM.

 

folia

 

Inovação

Por ocasião do lançamento da coletânea, o professor Sebastião Rios recebeu de Carlos Rodrigues Brandão, professor emérito da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e referência nos estudos da cultura tradicional, uma avaliação do trabalho feito na UFG. Leia um trecho da correspondência:

“O trabalho feito por sua equipe e você é realmente inovador. E digo isto depois de haver escrito muito e haver lido mais ainda sobre os mais variados estilos de folias, dedicadas aos mais vários santos. A abordagem criativa, o lugar de justo destaque dado a cada uma das pessoas participantes. A coerência de textos e de memórias. E o maravilhoso trabalho de imagens. Não me lembro de haver lido e visto antes um trabalho que fosse tão merecedor da experiência humana surpreendente que é um pequeno ‘bando de foliões’ estrada afora, anunciando um menino e alguns reis magos.
Só resta despedir com um... ‘Santos Reis que abençoe’. “
Carlos Rodrigues Brandão

 

Religiosidade


A toada compreende desde a estrutura de versos e respostas do cantorio até a melodia, o ritmo e o acompanhamento de instrumentos. “Os cantos e toadas da Folia de Reis trazem a marca da sensibilidade dos foliões que, contrastando com seu cotidiano de trabalho duro e precárias condições materiais de existência, se revela na leveza de um cantorio ao mesmo tempo rústico e delicado. Simples em sua harmonia e complexo na sobreposição e encaixe de vozes, a Folia de Reis constitui uma das maiores celebrações da cultura e da religiosidade popular no Brasil”, detalham os autores.

 

É por meio do cantorio que os donos da casa recebem os festeiros e que estes se comunicam com quem recebe a bandeira. Nesse sentido, a Folia de Reis é entendida como uma manifestação cultural e social, mas sobretudo religiosa, que tem na música um papel central. “O prazer estético de ouvir e cantar, tocar e dançar é indissociável do contexto do ritual. Os foliões são, normalmente, bons cantores e alguns também muito bons instrumentistas. Ao apresentar os cantos estão, porém, expressando, antes, sua devoção ou cumprindo uma promessa”, escrevem Talita e Sebastião. Em depoimento registrado no livro, Luiz Carlos Frazão, embaixador da Cia de Santos Reis de Inhumas, confirma essa ideia: “a Folia de Reis para mim, em primeiro lugar, é como se fosse um Evangelho ambulante”.

folia   folia

 

Título: “Toadas de Santos Reis em Inhumas, Goiás: tradição, circulação e criação individual” (Goiânia: Gráfica UFG, 2015)
Organizadores: Sebastião Rios e Talita Viana
Onde encontrar: Livrarias UFG
Pátio da FIC - Câmpus Samambaia
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 8h às 18h
Fone: (62) 3521-1209
Faculdade de Educação - Câmpus Colemar Natal e Silva
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 8h às 20h
Fone: (62) 3209-6322
Investimento: R$ 50,00

Fonte : Ascom UFG

Categorias : extensão Edição 86 Folia de Reis

Listar Todas Voltar