Weby shortcut 1a5a9004da81162f034eff2fc7a06c396dfddb022021fd13958735cc25a4882f
Youtubeplay db0358e6953f0d0ec2cd240bca6403729d73b33e9afefb17dfb2ce9b7646370a
Fiscal icon

Centro de Seleção UFG consolida e amplia atuação

Órgão é responsável por processos seletivos da Universidade e pela realização de concursos públicos dentro e fora do estado

Fiscal do Centro de Seleção UFG

 

Luiz Felipe Fernandes

Não é exagero chamar de operação de guerra uma tarefa que envolve um batalhão de pessoas, que exige precisão e que permite pouca ou nenhuma margem de erro. Assim é a realização de um concurso público. O dia em que os candidatos fazem as provas é apenas uma das várias fases que envolvem o planejamento e a execução de um processo seletivo, atribuição que, na UFG, está sob a responsabilidade do Centro de Seleção (CS), órgão vinculado à Reitoria e supervisionado pela Pró-Reitoria de Graduação (Prograd).

O CS sucedeu, em maio de 2000, à antiga Comissão Especial do Concurso Vestibular (CECV), órgão encarregado da realização dos processos seletivos da UFG desde 1971. Com a adesão da Universidade ao Sistema de Seleção Unificada (SiSU), que utiliza as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o vestibular tradicional deixou de ser feito. Atualmente o foco principal do CS é a realização de concursos públicos, mas engana-se quem pensa que o trabalho diminuiu.

O presidente do CS, Wagner Wilson Furtado, explica que o órgão realiza todos os processos seletivos da UFG que não utilizem o SiSU como forma de ingresso – cursos que exigem Verificação de Habilidades e Conhecimentos Específicos (Arquitetura e Urbanismo da Regional Goiânia, Música, Musicoterapia e Teatro), Educação do Campo, Educação Intercultural, vagas extras para indígenas e quilombolas, licenciatura em Letras/Libras para candidatos surdos, cursos de graduação ministrados a distância, além do processo seletivo para preenchimento de vagas remanescentes.

Além disso, o CS continua atuando na seleção realizada por meio da lista de espera do SiSU para as chamadas subsequentes. Atua também na análise de renda dos candidatos optantes pela Lei de Reserva de Vagas e participa de todas as etapas da matrícula. “Apesar de não conduzir mais a seleção aos cursos de graduação que participam do SiSU, a UFG está presente, indiretamente, na seleção de seus candidatos ao participar ativamente do Banco Nacional de Itens (BNI), de onde são retiradas questões para as provas do Enem. É bastante comum vermos questões elaboradas por professores da UFG nos cadernos de provas do Enem”, acrescenta Wagner.

 

Outros concursos

A excelência na atuação ampliou e diversificou as atividades do CS. Outras instituições se valem da experiência da UFG para selecionar seus funcionários. Além de concursos na capital e no interior de Goiás, o CS tem conduzido processos seletivos de outros estados, como os concursos da Universidade Estadual do Amapá (professores e técnicos-administrativos), a elaboração das provas para o concurso da Polícia Civil do Tocantins e processos seletivos para a Fundação UnirG – Centro Universitário, em Gurupi (TO). Organizou ainda o Exame Nacional para Ingresso na Pós-Graduação em Computação (Poscomp) em 2015.

“A iniciativa de condução de concursos públicos decorreu da experiência na realização de nossos processos seletivos. A partir dessa experiência, o Centro de Seleção se viu convidado a assumir o seu papel social e institucional de contribuir com a seleção de pessoal para ocupação de cargos públicos nas esferas municipal, estadual e federal e de cargos em empresas particulares”, ressalta Wagner.

O CS também realizou, nos últimos anos, vários concursos públicos para a ocupação de vagas nas prefeituras de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis, Senador Canedo, Caldas Novas e Goianésia. Além disso, para o Instituto Federal de Tecnologia Goiano (IFGoiano), Universidade Federal da Grande Dourados, Conselho Regional de Enfermagem, Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, Fundação de Apoio ao Hospital das Clínicas (Fundahc), Promotoria de Justiça do Estado de Goiás, Defensoria Pública do Estado de Goiás, Câmara Municipal de Itaberaí, Centrais Elétricas de Goiás, Assembleia Legislativa de Goiás, entre outros. Foi também o organizador das eleições do Conselho Tutelar de Goiânia nos anos de 2013 e 2015.

Atualmente é o CS que seleciona os residentes da Comissão de Residência Médica (Coreme) e da Comissão de Residência Multiprofissional (Coremu) para as Unidades de Saúde da Secretaria Estadual de Saúde (Hugo, Hugol, Crer, HGG, Huapa, HDT e HMI) e da Coreme da Fundação UnirG. Para o âmbito interno da UFG, o CS conduziu todos os concursos públicos e processos seletivos para o quadro de pessoal Técnico-Administrativo em Educação, médicos residentes para o Coreme do Hospital das Clínicas, diversos profissionais para a Coremu/UFG e vários programas de pós-graduação.

 

Força-tarefa

O corpo técnico do Centro de Seleção da UFG é relativamente pequeno. Conta com um presidente, dois coordenadores e 23 técnicos que trabalham nos setores Administrativo, Financeiro, Jurídico, Atendimento ao Público, Pedagógico, Tecnologia da Informação (TI), Logística e Apoio. Entretanto, um único certame pode envolver milhares de pessoas. Este ano, no concurso público da Secretaria de Educação e Esporte da Prefeitura de Goiânia, trabalharam cerca de 7 mil pessoas, das quais mais de 6 mil eram aplicadores de prova. Mais de 104 mil candidatos se inscreveram para concorrer a uma das vagas do concurso.

Com o auxílio do presidente do CS, Wagner Wilson Furtado, o Jornal UFG traz um passo a passo do planejamento e da execução de um concurso público, desde o contato com a empresa ou órgão contratante, até a aplicação das provas. Embora o trabalho seja ainda mais amplo, já que envolve correção das provas, divulgação dos resultados, análise de recursos, homologação e convocação dos aprovados, é possível ter uma noção da estrutura física e de pessoal que se mobiliza para esse trabalho.

etapas

 

Categorias : Universidade Edição 82

Listar Todas Voltar