Weby shortcut 1a5a9004da81162f034eff2fc7a06c396dfddb022021fd13958735cc25a4882f
Youtubeplay db0358e6953f0d0ec2cd240bca6403729d73b33e9afefb17dfb2ce9b7646370a

ARTIGO: Senti que o curso de Matemática da Regional Catalão pedia socorro

Logo Jornal

Publicação da Assessoria de Comunicação da Universidade Federal de Goiás 
ANO VII – Nº 68 – Outubro – 2014

Artigo: Senti que o curso de Matemática da Regional Catalão pedia socorro

Texto: Igor dos Santos Lima* | Foto: Divulgação

Artigo Igor

O curso de Matemática está na UTI e precisa urgentemente de uma cirurgia de risco. Essa é a impressão que tenho desde que cheguei ao Câmpus Catalão da UFG em dezembro de 2012. E é sem medo que escrevo para relatar o problema e apontar algumas ações que estão sendo desenvolvidas na Regional Catalão, desde 2013, por docentes da instituição e pesquisadores externos, que acreditam em uma possível melhora em médio prazo.

Desde que cheguei, coordeno o Seminário Semanal de Álgebra (SSA), que visa diminuir a evasão, o abandono, a desistência e a reprovação em disciplinas ligadas direta e indiretamente à Álgebra (disciplina com alto índice de reprovação e desistência). Dentro desse projeto, há o Workshop de Álgebra da UFG-CAC, evento gratuito que chegará em sua terceira edição no período de 20 a 23 de outubro. Para mais informações acesse o sítio www.ssa_mat. catalao.ufg.br/

Não é exagero pensar que, se a evasão e as vagas ociosas continuarem no ritmo atual, o curso de Matemática Licenciatura tende a acabar. Meu maior espanto é ao confrontar a realidade de discentes desse curso na Regional Catalão com a minha na UnB há quase uma década. Os tempos mudaram, mas a vontade de estudar deve permanecer. Tomei posse como docente na UFG recentemente e observo que falta nos estudantes maior motivação e apego com aquilo que se propõem a fazer e sobra deficiência na formação básica. É constante a desmotivação discente advinda, às vezes, justamente dessa falta de “base”. É evidente também a dificuldade deles em assuntos básicos que acaba tendo de ser contornada em âmbito de Ensino Superior, como ocorre na disciplina Elementos de Matemática, pré-requisito para Cálculo I.

Estamos lidando com jovens e adultos que, de um modo geral, não têm perspectivas de continuarem os estudos após a graduação. Parte da responsabilidade é também da falta de reciclagem dos professores e do Projeto Pedagógico de Curso (PPC), que não atendem com maior êxito os alunos com dificuldades na formação e com sérios problemas de horários de estudo – o curso de Matemática Licenciatura é noturno (predominantemente) e muitos alunos trabalham durante o dia e outros tantos saem mais cedo das últimas aulas para não perderem o ônibus (coletivo).

Sou consciente de que é necessário um levantamento maior para endossar o relatado neste texto. Porém, é o contato direto com os discentes que me motiva a realizar ações de melhoria para a Regional Catalão baseadas em projetos que deram certo em outras instituições de ensino, como os projetos de extensão Dominó de Lógica (Unesp) e Rei da Derivada (UnB- Gama), que já tem a autorização dos autores e serão implantados na Regional Catalão em 2014, e o curso de especialização em Matemática (IME-UFG), já apresentado ao Departamento de Matemática como pedido de implantação para 2015. Além desses, há o PET-MAT (UnB) e esse será realizado em parceria com o Centro Acadêmico de Matemática (CAMat), que está sendo criado pelos discentes.

Ações como as citadas e também orientações de alunos em projetos de pesquisa ou iniciação científica são apenas a “cereja de um bolo”, que, sem dúvidas, é bem maior do que se pensa. Disciplinas como Raciocínio Matemático: técnicas de demonstração melhoram a formação dos discentes, principalmente os de Exatas. Outra sugestão que poderia amenizar esse “grito de socorro” seria designar um orientador acadêmico para cada aluno do curso. O III Workshop de Álgebra da UFG-CAC também contribui com isso, visto que o evento, em suma, é uma iniciativa singular de complementação didática e acadêmica, que auxilia na formação profissional do público-alvo (discente de diversos cursos e participantes do público externo à UFG) e daqueles envolvidos no projeto. Ao final do Workshop, espera-se que os alunos estejam mais motivados e que os problemas que forem desenvolvidos se transformem em artigos científicos e projetos de pesquisa.

*Professor do Departamento de Matemática da Regional Catalão - UFG

Categorias : artigo Regional Catalão Licenciatura em Matemática

Listar Todas Voltar