Weby shortcut
Youtubeplay
Foto do Reitor Orlando Afonso Valle do Amaral

UFG: gestão em tempos de crise

Confira o artigo do professor Orlando Amaral publicado no dia 6 de janeiro no Jornal O Popular que faz um balanço sobre seu mandato como reitor na UFG

No período de janeiro de 2014 a janeiro de 2018, coube a mim, como reitor, e ao professor Manoel Chaves, como vice-reitor, a tarefa de gerir a UFG. Esses quatro anos foram marcados por uma forte recessão econômica, com a adoção de medidas de contenção de gastos pelo governo federal que impuseram drásticas restrições orçamentárias às áreas sociais e contingenciamento e cortes nos orçamentos das universidades.

Foi neste cenário que a atual equipe de gestão procurou superar as dificuldades e dar prosseguimento ao fortalecimento da instituição. Racionalização de gastos, conscientização da comunidade, busca de parcerias com os governos estadual e municipais, parcerias com empresas privadas, diálogo permanente e suprapartidário com os parlamentares goianos, apresentação de bons projetos às agências financiadoras (captação de R$ 81 milhões apenas em 2017), foram algumas das ações que permitiram que a UFG atravessasse esse período de crise sem maiores traumas.

Foram criados novos cursos de graduação e 24 novos cursos de pós-graduação stricto sensu nas várias Regionais da UFG. Mais de 30 importantes obras físicas foram entregues neste período e outras 11 estão em andamento, com a previsão de serem entregues em 2018. Um destaque especial deve ser dado ao novo prédio do Hospital das Clínicas da UFG. Construído majoritariamente com recursos de emendas da bancada de parlamentares goianos, o prédio com 44.000 m², distribuídos em 20 andares, abrigará 600 leitos. Quando equipado, será o maior hospital universitário de uma universidade federal do Brasil, uma grande conquista para a UFG, mas também, e principalmente, para a população que depende do atendimento pelo SUS.

As Regionais da UFG em Catalão e Jataí consolidaram seus câmpus universitários em termos de infraestrutura física, de equipamentos e de pessoal, de tal forma que justificaram a apresentação pelo governo da presidente Dilma de dois projetos de Lei (já aprovados pela Câmara Federal), propondo a criação de duas novas universidades em Goiás: a Universidade Federal de Jataí e a Universidade Federal de Catalão. A Regional Goiás da UFG e o câmpus de Aparecida de Goiânia receberam significativos investimentos para ampliar a sua infraestrutura e ampliar a oferta de cursos.


A comunidade universitária da UFG não se acomodou e nem se deixou abalar pelas dificuldades enfrentadas. Continuamos a nossa missão de formar pessoas com o mais alto nível de qualificação, a nos fortalecer na pesquisa e na pós-graduação e a ampliar a nossa interação com a sociedade. Cabe então a questão: até que ponto iremos resistir aos efeitos deletérios de uma política econômica tão restritiva, como as atualmente em vigor, que colocam em risco o crescimento e o futuro da instituição?


Orlando Afonso Valle do Amaral, Reitor da UFG na gestão 2014-2017

Fonte : Ascom UFG

Categorias : Última hora artigo

Listar Todas Voltar